Buscar

Ebanx compra JoyPay, consulta pública do Banco Central e novos investimentos em Startups.


Cada vez mais forte

Overview: O mais novo unicórnio brasileiro, Ebanx, acaba de comprar a subadquirente JoyPay. Apesar de não terem sidos divulgados valores sobre a transação, em nota o Ebanx afirmou que deve investir no crescimento da Ebanx Pay, sua própria solução de pagamentos. Apesar de possuir a totalidade das ações, as estruturas permanecerão separadas, além disso, os criadores da JoyPay assumirão cargos executivos.

Why it matters: o investimento faz com que a disputa pelos meios de pagamento fique ainda mais acirrada, isso porque a JoyPay é conhecida pela comercialização de máquinas de crédito e débito. Em meio a tudo isso, quem se beneficia é o empreendedor que vê as taxas de juros caírem cada dia mais.

Go deeper: Valor Economico | Suno Research | ComputerWorld Acesse nosso Report sobre Meios de Pagamento para entender mais sobre o funcionamento e os players atuando no setor.



Eles querem nossa opinião

Overview: O Banco Central abriu para consulta pública a proposta de regulamentação do Open Banking. Até o dia 31 de janeiro os brasileiros poderão opinar e enviar sugestões sobre as regras de permissão do acesso de dados das instituições financeiras por meio de APIs. O Sandbox Regulatório, também é um dos temas em discussão, já que serão definidas regras para que os produtos e serviços financeiros sejam experimentados em um ambiente controlado. Segundo o BC, a implementação tem como objetivo aumentar a eficiência do Sistema Financeiro Nacional, fomentando inovação, transparência, concorrência e inclusão financeira.

Why it matters: Com a abertura da consulta, os clientes podem opinar sobre seus próprios dados financeiros, o que é uma reclamação constante por parte da população que, na maioria das vezes, não tem conhecimento nenhum sobre o tema.

Go deeper: Mobile Time | Correio Braziliense  | Exame | ComputerWorld




Dinheiro para simplificar a moradia

Overview: A Redpoint eventures, gestora de venture capital com sede em São Paulo, fez um aporte de 50 milhões de reais na Housi, plataforma digital de moradia. Com menos de um ano no mercado, o investimento visa alavancar o crescimento em tecnologia e marketing da startup. O objetivo da Housi é transformar a moradia em um serviço, diminuindo atritos e processos burocráticos. Com o financiamento ela pretende expandir a operação para outras sete capitais brasileiras.

Why it matters: Com o investimento, a Housi ganha força para criar uma nova categoria de moradia, onde as pessoas podem alugar suas casas de forma tão simples como pedir um transporte por aplicativo. Quem fica de olho nessa movimentação são as imobiliárias e apps de alugueis e vendas de imóveis que tendem a perder espaço para a simplicidade da Housi.

Go deeper: Exame | Valor Economico | Startupi



Falando em juros...

Overview: O governo limitou a 8% ao mês o juros do cheque especial cobrado pelos bancos. A medida que entra em vigor no dia 6 de janeiro visa tornar o produto menos “regressivo”, diminuindo a penalização de quem mais usa o serviço, a população de baixa renda. Entretanto, após a medida, passará a ser permitido que as instituições cobrem uma taxa mensal de até 0,25% para disponibilizar o produto aos clientes, em limites superiores a 500 reais.

Why it matters: Segundo o Banco Central, em outubro o juro médio do cheque especial ficou em 305,9% ao ano, o equivalente a 12,4% ao mês. A mudança traz um impacto direto na receita dos bancos, que terão de se adaptar ao novo modelo, além de gerar possíveis confusões com a taxa de disponibilidade.

Go deeper: InfoMoney | Estadão | Uol



Tão jovens e valendo muito

Overview: A Lotf, plataforma de compra, venda e reforma de apartamentos, anunciou uma nova captação no valor de R$ 216 milhões em um fundo imobiliário administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo. Essa é a segunda oferta que o fundo recebe, a primeira aconteceu em fevereiro desse ano e garantiu cerca de R$110 milhões. Com esse novo investimento, a Loft pretende adquirir mais 1,2 mil apartamentos no valor de aproximadamente R$1,3 milhão cada. No mercado desde agosto de 2018, a startup já está avaliada em R$ 1,5 bilhão e opera em 16 bairros diferentes de São Paulo, mas o objetivo é ampliar a atuação para outras capitais brasileiras.

Go deeper: Startupi | Estadão | Suno Research



Dinheiro na conta de uma ótima ideia

Overview: A Rebel, startup de crédito pessoal brasileira, recebeu um aporte de US$ 10 milhões em uma nova rodada de investimento liderada pelo fundo brasileiro Monashee. A fintech que tem como objetivo diminuir o spread bancário, irá investir esse dinheiro, principalmente, em tecnologia própria e na contratação de profissionais da área de ciência de dados, marketing e vendas. Vale dizer que a Rebel é uma das startups selecionadas pela 51 boas ideias, nosso projeto com empreendedores inspiradores com potencial de transformar o mercado e a vida de seus clientes.

Go deeper: Startse | Estadão

Logo Fisher New.png
Logo fisher branco(Anexo 2).png
  • Linkedin Fisher Venture Builder
  • Branca Ícone Instagram
  • Facebook Fisher Venture Builder
  • Twitter Fisher Venture Builder

Rua dos Pinheiros, 498, 3º andar - São Paulo, SP  |  Brasil